Vice-governador entra na disputa ao Senado, define suplentes e tenta se viabilizar com agronegócio

O Documento

O fato de o vice-governador de Mato Grosso, Otaviano Pivetta (PDT), ter entrado no páreo para disputar a eleição suplementar ao Senado da República, em 2020, provocou uma guinada no tabuleiro eleitoral. Conforme ODocumento antecipou com exclusividade que Pivetta teve seu nome cogitado, primeiramente pela deputada Janaína Riva (MDB), o vice-governador do Estado, inclusive, já está fazendo contatos para definir sua chapa, com a escolha do primeiro e segundo suplentes.

Pivetta quer viabilizar sua candidatura com o apoio do agronegócio mato-grossense, do qual faz parte. Para isso, está buscando viabilizar sua chapa com a presença do ex-senador e coordenador geral da campanha vitoriosa do governador Mauro Mendes (DEM) em 2018, Cidinho dos Santos (PL), como o primeiro-suplente, e de Norberto Carlos Oliveira de Arruda (Podemos), marido da senadora Selma Arruda, como o segundo suplente.

A eleição suplementar ainda não tem data definida. O Tribunal Superior Eleitoral já publicou o acórdão com a cassação de Selma Arruda por abuso de poder econômico e prática de caixa 2, mas o Senado ainda não fez a leitura da decisão para confirmar o afastamento. Após a leitura, começa a correr o prazo de 90 dias para a realização da votação. Ao que tudo indica deve ficar para fevereiro na volta do recesso.

Otaviano Pivetta já deu inicio às articulações para viabilizar seu nome para a eleição suplementar

O fato de o vice-governador de Mato Grosso, Otaviano Pivetta (PDT), ter entrado no páreo para disputar a eleição suplementar ao Senado da República, em 2020, provocou uma guinada no tabuleiro eleitoral. Conforme ODocumento antecipou com exclusividade que Pivetta teve seu nome cogitado, primeiramente pela deputada Janaína Riva (MDB), o vice-governador do Estado, inclusive, já está fazendo contatos para definir sua chapa, com a escolha do primeiro e segundo suplentes.

Pivetta quer viabilizar sua candidatura com o apoio do agronegócio mato-grossense, do qual faz parte. Para isso, está buscando viabilizar sua chapa com a presença do ex-senador e coordenador geral da campanha vitoriosa do governador Mauro Mendes (DEM) em 2018, Cidinho dos Santos (PL), como o primeiro-suplente, e de Norberto Carlos Oliveira de Arruda (Podemos), marido da senadora Selma Arruda, como o segundo suplente.

A eleição suplementar ainda não tem data definida. O Tribunal Superior Eleitoral já publicou o acórdão com a cassação de Selma Arruda por abuso de poder econômico e prática de caixa 2, mas o Senado ainda não fez a leitura da decisão para confirmar o afastamento. Após a leitura, começa a correr o prazo de 90 dias para a realização da votação. Ao que tudo indica deve ficar para fevereiro na volta do recesso.
Pivetta é aliado de Mauro Mendes desde 2010, quando também concorreu a vice de Mauro ao Palácio Paiaguás. À época, Silval Barbosa – que havia assumido após renúncia de Blairo Maggi, que foi eleito senador – foi reeleito. Com perfil discreto, Pivetta reúne as condições que atraem diversos grupos políticos e econômicos, principalmente, por ser ligado ao agronegócio.

Postar um comentário

0 Comentários