Deputados querem que secretários-candidatos deixem cargos neste ano



 

 

 

 

 

 

 

 

 


 Romilson Dourado / RD News


Um grupo de deputados situacionistas vai solicitar ao governador Mauro Mendes que antecipe e limite até dezembro deste ano o prazo para desincompatibilização daqueles secretários, adjuntos e dirigentes de empresas e autarquias que queiram concorrer às eleições gerais.

Acham que, desse modo, o governo se previne de eventuais denúncias de uso da máquina por interesses eleitorais. O prazo seria até abril, ou seja, seis meses antes do pleito, para afastamento do Executivo. Mas alguns parlamentares, de olho na reeleição e temerosos em ser "patrolados" com o peso da máquina por secretários-candidatos, querem logo o desligamento destes.

Por enquanto, ensaiam candidatura a deputado estadual os secretários Silvano Amaral (Agricultura Familiar), Alan Porto (Educação), Gilberto Figueiredo (Saúde) e Alberto Machado (Cultura, Esporte e Lazer), além dos presidentes da Metamat, Juliano Jorge, e do MT Participações e Projetos (MT PAR), Wener dos Santos. O secretário Nilton Borgato (Ciência, Tecnologia e Inovação) pretende disputar cadeira de deputado federal.

Postar um comentário

0 Comentários