Advogado de espião de jornalista de MT quer indicação pra juiz do TRE




Isso É Notícia Com Minuto MT

O detetive Ivancury Barbosa, flagrado instalando um rastreador no carro do jornalista Alexandre Aprá e em conversas comprometedoras, que ligariam a primeira-dama de Mato Grosso, Virgínia Mendes, o próprio governador, Mauro Mendes (DEM), e o empresário aliado, Ziad Fares, à sua contratação para perseguir o profissional de imprensa, já definiu seu advogado para o caso.

Trata-se do jovem Eustáquio Neto. Apesar da pouca idade, o jurista já tem histórico no meio político e foi o advogado de Sílvio César Corrêa Araújo, ex-chefe de gabinete do ex-governador de Mato Grosso, Silval Barbosa, condenado por corrupção. Segundo apurou a reportagem, Eustáquio tem um objetivo na carreira: integrar a lista tríplice do Tribunal de Justiça de Mato Grosso – TJMT para o cargo de juiz no Tribunal Regional Eleitoral – TRE.

Constitucionalmente, um advogado pode ser o indicado para ocupar a vaga. Se faz inevitável, porém, um bom trânsito político, já que a definição final do ocupante da nobre cadeira é feita por meio de indicação. Antes disso, Eustáquio tem o abacaxi de Ivancury pra descascar. O detetive tem contra si áudios e vídeos que o fizeram confessar que fora contratado para perseguir Aprá, algo que ele mesmo já assumiu.

NOTÍCIAS QUENTES - Acesse o grupo do Isso É Notícia no Whatsapp e tenha notícias em tempo real (CLIQUE AQUI)

Em filmagens, Ivan aparece celebrando um contrato assinado por Ziad Fares, aliado de primeira hora da família Mendes. Em outro momento, Ivancury diz para um homem infiltrado pela vítima que “trabalha para a primeira-dama de Mato Grosso”. O caso tem ganho repercussão e foi pauta de 20 minutos do último Domingo Espetacular, da TV Record.

Antes disso, a denúncia, que hoje está nas mãos do Ministério Público e da Polícia Civil de Mato Grosso, chegou ao conhecimento de todo o país em publicações no UOL, Folha de SP, Yahoo, Isto É e outros veículos. A Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo – Abraji e a Federação Nacional dos Jornalistas – Fenaj também já se manifestaram cobrando celeridade nas investigações.

Em outra conversa que teve com o infiltrado, que acabou entregando a Aprá todo a trama que ameaçava sua vida, o detetive cita que se o jornalista “aparecesse morto em sua casa, ele (detetive) não poderia ser cobrado”. Até o momento, Ivancury, que já fora acusado de pistolagem nos registros policiais, diz que, por questões de ética profissional, não pode revelar o nome de quem o contratou para forjar um flagrante contra o jornalista, o vinculando com drogas ou abuso de menores.

Brasília

Na próxima semana, Aprá deve depor na Comissão de Segurança Pública e Combate ao Crime Organizado da Câmara Federal, expondo ainda mais o caso nacionalmente. Governador, Virgínia e Ziad negam veementemente que tenham contratado Ivancury. O empresário, contudo, tem contra si um vídeo onde aparecendo fumando e conversando intimamente com o detetive, no mesmo dia em que ele instalou o rastreador no carro do jornalista.

Com medo de morrer, o jornalista fugiu de Mato Grosso. Nos últimos anos, Aprá tinha feito uma série de denúncias sobre suspeitas de gastos irregulares nas gestões de Mauro, sobretudo envolvendo a empresa ZF, de propriedade de Ziad, que acostumou a vencer licitações e abocanhar contratos milionários no estado, principalmente quando é Mauro Mendes o gestor.

Postar um comentário

0 Comentários