Ministro afirma que governo Bolsonaro está há mil dias sem corrupção e diz que não há como ficar rico no serviço público


Olhar Direto

Em um discurso acalorado e com muita persistência em uma defesa pessoal do presidente da República Jair Bolsonaro, o ministro da Educação Milton Ribeiro afirmou que não há como ficar rico ou milionário trabalhando apenas no serviço público, e afirmou que o Estado está há mil dias sem corrupção.

Em seu discurso, durante relançamento das obras do campus de Várzea Grande do Instituto Federal de Mato Grosso, na tarde de quinta-feira (30), Milton disse que "gente que enriquece na política é corrupta". A fala do ministro vai ao enco“Vou dizer uma coisa, sempre gosto de dizer isso, é uma parte apimentada do meu discurso: Se você conhecer um político que vai para o serviço público e começa a enriquecer, vou dar uma notícia, depois eles podem vir reclamar comigo. Gente que enriquece com a política é corrupta. Não tem como ficar rico na política, é um serviço. Eu entro às 7h30 e saio às 21h e não acaba o serviço e meu salário, não vou dizer que é ruim na média comparativa com o salário médio do brasileiro, é muito bom, mas seguramente, eu tinha muito melhor fora do MEC”, assegurou o ministro.

Com muita enfâse no trabalho e na total confiança que tem no grupo liderado por Jair Bolsonaro, o ministro voltou a frizar que ele próprio pode não ser o melhor professor, mas corrupto ele não é. “Tem muitos assim entre meus colegas de Ministério, que estão dispostos a abrir mão de recursos para poder servir a nação. Só permaneço lá porque está sentado na cadeira de ministro da Educação um homem que pode não ser a grande celebridade, e talvez não seja o melhor educador do Brasil, mas corrupto ele não é. Eu asseguro aos senhores, eu não vou sair rico do Ministério da Educação”, garantiu.

Sobre as obras, o ministro disse que pretende terminá-las ou pelo menos colocar em ordem de serviço todas até o fim de 2022. “Não temos mais dinheiro para desperdiçar, a gestão é seria, não temos desvio de dinheiro. Em 1000 dias do governo Bolsonaro e não temos ministro presos, com CPI por corrupção, podem falar o que quiserem, mas isso não vão falar nunca da nossa equipe”, defendeu.

Por último, ele disse que se o valor investido pelo Brasil em outros países tivesse vindo para a educação, a atual situaçao seria melhor. Mas a gestão feita pelo PT nos últimos anos preferiu emprestar pra fora do que investir dentro do país. “Venezuela e Cuba devem R$ 3,5 bilhões ao Brasil. Os governos do PT emprestaram R$ 10,2 bilhões. Hoje não temos essa agenda de emprestar dinheiro para ditaduras. Temos foco de olhar para o Brasil e as coisas do Brasil. Não aguentamos mais corrupção”, finalizou.

Postar um comentário

0 Comentários