Multinacional mexicana entra com recuperação judicial sem legitimidade de empresário que se diz dono da empresa no Brasil

 



Pilão de Noticias


Um desentendimento de parceria comercial internacional feita entre dois empresários, um brasileiro e outro mexicano, acabou tomando uma grande proporção, que virou caso de polícia no México e com brigas judiciais intermináveis nos tribunais do Brasil com direito a um “enredo” que facilmente poderia se tornar uma “inspiração” para alguma novela ou série mexicana com direito a traição entre amigos e ganância por poder e dinheiro.


O Blog Pilão de Notícias ao descobrir esta história entrou em contato com as duas empresas envolvidas e uma pessoa ligada a Accel l Soluções para Energia e Agua Ltda aceitou contar em detalhes deste caso, com a condição de sigilo de sua identidade.

Alguns nomes foram substituídos e apenas o nome do empresário brasileiro será citado, devido ele ser a vítima neste caso e os demais serão preservados , devido o processo estar tramando em sigilo de confiabilidade judicial entre a Justiça Brasileira e a Justiça Mexicana.

Prepare sua pipoca e o seu guaraná enquanto lê esta história, que com certeza  irá prender a sua atenção do começo ao fim.

O “Henrique” trabalhava na empresa Accel Soluções para Energia e Agua Ltda. que presta  serviços a nível mundial que tem unidades no Brasil, Mexico, Chile e Argentina  ( “Henrique” era o representante legal no Brasil e administrador da mesma ate o dia 14 de marco de 2022). “Henrique” era um presidente atuante e estava investindo em vários negócios para diversificar o portifólio de produtos com empresas do mesmo grupo empresarial em beneficio do negócio e sempre estava junto com os funcionários na fábrica. 

“Henrique” tinha um acordo registrado em cartório no México (um documento oficial) onde um Contador era o representante dele na empresa matriz do Mexico que é a dona das operacões da Accell no México, Chile, Argentina e no Brasil. Ele (“Henrique”) tem uma vasta experiência no mercado e a empresa cresceu muito nos últimos meses até que uma conspiração internacional detonou uma enorme crise na empresa.  

A “parceria” entre eles começou a ruir, após uma visita do amigo mexicano  que começou a confabular com membros da equipe dele (“Henrique”) que ao visitar a empresa no Brasil, conheceu pessoalmente o contador da mesma que, de forma premeditada e maquiavélica, instigou  o “Mexicano”  a assumir o comando da Insprotec, afastando o “Henrique” da presidência da mesma, sendo que ele (o “Mexicano”) recebia uma generosa gratificação para apenas ser o proprietário no papel através de um acordo entre cavaleiros do mundo dos business e por uma suposta ganância de poder e dinheiro , ele aceitou a proposta do seu agora novo “aliado” e afastou o “Henrique” do comando da Insprotec, mesmo eles  tendo assinado um contrato de “gaveta” que foi registrado no México, porém, ele ( o “Mexicano”) destituiu o “Henrique” cancelando uma procuração que ele tinha em mãos.

Após ser destituído da diretoria da Insprotec, o “Henrique” contratou um advogado no Brasil, porém, como o contrato foi registado no México, nada podia ser feito por aqui, sendo assim, a defesa dele  entrou em contato com a Corte Suprema do México , que orientou que fosse feita uma queixa-crime naquele país e posteriormente a isso, o “Mexicano” foi intimado a prestar esclarecimentos para a Polícia Mexicana e após uma conversa “amistosa” com os policiais mexicanos,  ele (o “Mexicano”) restituiu o “Henrique” no comando da diretoria da Insprotec com direito a registro em ata.

Após este trâmite no México , o advogado do “Henrique” juntou toda a nova documentação e deu entrada no registro na Junta Comercial  Paulista , mas aí surgiu um novo obstáculo, um tal de “Administrador” que o “Contador” tinha colocado no lugar dele (“Henrique”) que entrou com um pedido de RJ (Registro na Junta), sendo que nenhum deles é  dono da Insprotec, quem é o dono de fato, é o “Henrique” que tem até então, o registro na Junta Comercial no Mexico.

Accell Soluções para Energia e Agua Ltda. busca entrar com recuperação judicial sem legitimidade do empresário atual, o “Administrador” que se diz dono da empresa Insprotec, mas judicialmente não tem legalidade para estar a frente da direção da mesma. Enquanto essa briga judicial segue nos tribunais, o processo está em análise na Junta Comercial Paulista.

Postar um comentário

0 Comentários